Quinta-feira, Abril 25, 2024

PAPA FRANCISCO: OS ARTISTAS SÃO ALIADOS DE DEUS! NÃO ESQUEÇAM DOS POBRES.

Sob os afrescos de Michelângelo, na Capela Sistina, o Papa recebeu artistas do mundo inteiro para marcar os 50 anos da inauguração da Coleção de Arte Moderna dos Museus Vaticanos.

Por: apostolado
0 comentário

Uma relação natural e especial: assim o Papa definiu o elo que liga a Igreja aos artistas. E o cenário para o discurso de Francisco não poderia ser mais sugestivo: a Capela Sistina.

O encontro foi organizado por ocasião dos 50 anos da Coleção de Arte Moderna dos Museus Vaticanos, desejada pelo Papa Paulo VI.

Foi justamente o Papa Montini o idealizador do primeiro encontro com pintores, escultores, arquitetos, escritores, poetas, músicos, diretores e atores para renovar a amizade entre a Igreja e a arte.

“O artista recorda a todos que a dimensão na qual nos movemos é a do Espírito. A arte é como uma vela que se enche do Espírito e nos faz ir avante.”

O Pontífice se inspirou numa frase do teólogo italiano Romano Guardini, que dizia que, ao criar, o artista se assemelha a uma criança e a um vidente. Faz uso da espontaneidade da criança para se mover no espaço da invenção, da novidade, da criação. Como dizia a filósofa Hannah Arendt, é próprio do ser humano viver para trazer ao mundo a novidade.

“A criatividade do artista parece assim participar da paixão geradora de Deus. Vocês são aliados do sonho de Deus! São os olhos que olham e que sonham. Não basta só olhar, é preciso sonhar.”

E ao sonhar novas visões de mundo, o artista se assemelha também aos videntes. “Vocês são um pouco como os profetas. Sabem olhar as coisas seja em profundidade, seja em amplitude.”

O Papa advertiu para uma suposta beleza artificial e superficial cúmplice de mecanismos econômicos que geram desigualdades. Uma beleza cosmética que esconde ao invés de revelar. Mas o papel do artista é justamente o contrário, é agir como consciência crítica da sociedade, eliminando o véu da obviedade, revelando a realidade até mesmo em suas contradições.

Como os profetas bíblicos, utilizando recursos como a ironia e o sentido de humor, o artista nos coloca diante de fatos que incomodam, criticando os falsos mitos do presente, os novos ídolos, os discursos banais e as astúcias do poder.

Por fim, uma exortação: “Não se esqueçam dos pobres, que são os preferidos de Cristo. Também os pobres necessitam de arte e de beleza. Alguns experimentam formas duras de privação da vida e, por isso, necessitam ainda mais de arte. Normalmente não têm voz e vocês podem ser intérpretes de seu grito silencioso”.

Francisco agradeceu os artistas presentes, fazendo votos de que suas obras sejam dignas das mulheres e dos homens desta terra e deem glória a Deus, que é o Pai de todos e que todos buscam, inclusive por meio da arte.

You may also like

O Apostolado Angola - Ontem, Hoje, amanhã e Sempre - Informação Com Credibilidade

O Apostolado – Jornal da Actualidade da CEAST – Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe, é um site de notícias e representa o ponto de vista a CEAST com relação aos notícias local e internacional.

2023 –  Direitos Reservados. Jornal o Apostolado.  Developed by TIIBS, Lda – TIIBS, Lda – Technology Consultants

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Política de Privacidade & Cookies