Quinta-feira, Abril 25, 2024

No regresso e despedida oficial dos relvados, o ex-capitão da Selecção Nacional, Fabrice Maieco Akwá, reafirmou, quarta-feira, em Benguela, o desejo de dirigir a Federação Angolana de Futebol (FAF), para mudar o actual figurino, que segundo ele, já afecta o psicológico dos jogadores da Selecção Nacional.

Falando em exclusivo ao Jornal de Angola, no final da sua despedida oficial dos relvados, no desafio entre Nacional de Benguela e Desportivo da Lunda-Sul, para os 16 avos-de-final da Taça de Angola em futebol, que também serviu para a sua homenagem, disse que já não é novidade para ninguém a sua pretensão de dirigir a FAF.

Tal como sempre disse, eu quero dar o meu contributo dentro da Federação Angolana de Futebol (FAF). Isso não vou esconder porque já não é novidade para ninguém”, disse, rogando que “o futuro a Deus pertence”.

O goleador-mor dos Palancas Negras disse que apesar do desejo de dirigir a FAF, também, é preciso saber entrar na FAF pois significa contar com pessoas que realmente querem trabalhar e querem mudar o actual figurino.

“É claro que o nosso futebol precisa de todos nós, no dirigismo ou no treinamento”, disse, acrescentando que, “daqui para frente vamos ver. Há muitas coisas más no nosso futebol e temos que dar o nosso contributo de outra forma se quisermos ver as coisas a mudar”, defendeu, congratulando-se com o livramento do castigo que lhe havia sido imposto pela FIFA.

“Felizmente, já posso dar o meu contributo no futebol angolano legalmente, então, é isso. Vamos ver. Porém, a verdade é de que, este Akwá que fala de futebol, se entrega no futebol que viram no passado que voltarão a ver no futuro”, assegurou.

Ainda sobre o almejado desejo de se sentar no cadeirão máximo da FAF, Akwa disse que dirigismo é em todo lado. “Não vamos só olhar para a FAF. É claro, se aparecer convite de algum clube, estou disponível, mas, o desejo é estar na FAF, lamentando o que se passou com a Selecção Nacional de Angola “Palancas Negras” na fase que antecedeu o jogo diante do Ghana.

Segundo Akwá, é triste ler e ouvir aquilo que se passou no Ghana, para disputa do jogo qualificativo para o próximo Campeonato Africano de Futebol. Para ele, o que se passou afectou o psicológico dos jogadores.

“Os jogadores tiveram que abandonar o estágio para voltarem para os seus clubes porque as condições que diziam que estavam todas acauteladas, acabaram por não acontecer”, lamentou.

Disse, ainda, que o estágio que estava para ser em Portugal acabou por ser na Argélia, e depois à saída da Argélia para o Gana as coisas correram mal. Mesmo depois do jogo para o regresso a Angola, indicou, as coisas correram mal. “Temos que acabar com isso”, defendeu.
O dirigismo carece de pessoas sérias

Para Akwá, deve haver pessoas sérias no nosso dirigismo porque depois a culpa recai sempre aos jogadores quando há outras coisas por detrás, como é o caso da motivação que conta muito.

Akwá disse que o actual cenário começa a afectar o psicológico dos atletas. “Temos muita gente disponível e com vontade de dar o seu contributo no futebol, quer seja no treinamento, no dirigismo. Tem que se aproveitar essa gente”, defendeu.

Lembrou que há muita gente que jogou bola e que hoje também tem curso de treinador e de gestão de empresas. Salientou que, mesmo aquelas pessoas que não têm os cursos podem fazê-lo, porque hoje, reconheceu que, felizmente, há formação a toda hora.

Temos que aproveitar os nossos homens de futebol. Não podemos ficar para trás enquanto os outros estão sempre a evoluir”, comparou.

Fonte: JA

You may also like

Deixa um Comentário

O Apostolado Angola - Ontem, Hoje, amanhã e Sempre - Informação Com Credibilidade

O Apostolado – Jornal da Actualidade da CEAST – Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe, é um site de notícias e representa o ponto de vista a CEAST com relação aos notícias local e internacional.

2023 –  Direitos Reservados. Jornal o Apostolado.  Developed by TIIBS, Lda – TIIBS, Lda – Technology Consultants

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Política de Privacidade & Cookies