Quarta-feira, Abril 24, 2024

O orçamento da Assembleia Nacional para 2023 fixa receitas e despesas, como o Novo Jornal apurou, no valor de 54 mil milhões de Kwanzas, considerado insuficiente pelos deputados para as necessidades deste órgão de soberania.

O documento que contempla a economia do Parlamento foi aprovado à porta-fechada pelos deputados com 182 votos a favor, nenhum voto contra e nenhuma abstenção.

De acordo com o documento apresentado pelo secretário-geral da Assembleia Nacional, Pedro Agostinho de Néri, o orçamento, enquanto instrumento de gestão, “reflecte um conjunto de despesas e receitas que terão de dar resposta às várias necessidades que diariamente a casa das leis apresenta”.

Durante a sua intervenção, o responsável recordou que o Parlamento lançará, brevemente, o seu canal de Televisão e Rádio e irá acolher a 147.ª Assembleia da União Interparlamentar, em Outubro próximo, projectos que segundo o parlamentar, contribuíram para o incremento do valor das despesas.

Contudo, tendo em atenção a dimensão do evento, e atendendo à urgência dos recursos, decidiu-se, ao nível do Plenário, recorrer a créditos orçamentais.

Pedro Agostinho de Neri frisou que o orçamento em discussão não é dos melhores, apelando à “inteligência e máxima atenção” de todos para que seja possível exercerem com sucesso as suas actividades.

O orçamento vai garantir a estabilidade e manutenção dos principais encargos, como concretização da acção legislativa da Assembleia Nacional.

Prevê-se a melhoria das condições de trabalho dos deputados dos gabinetes locais de apoio aos círculos provinciais e assegurar a execução dos planos de actividades do Parlamento.

O Orçamento destina-se à cobertura dos encargos com subvenções dos partidos políticos e Grupos Parlamentares e assistência médica e medicamentosa.

Vai cobrir igualmente a manutenção de viaturas protocolares, deputações ao nível das províncias, deslocações de delegações oficiais de deputados e funcionários ao exterior do País e os serviços de manutenção da nova sede da Assembleia Nacional.

O Orçamento vai também assegurar a execução do plano de actividades da Assembleia Nacional, fortalecimento das relações de cooperação interparlamentar e internacional e assegurar a fiscalização da acção governativa.

Com este orçamento, a Assembleia Nacional vai garantir a concretização política da acção legislativa, melhorar os serviços prestados pela administração parlamentar, salvaguardar os direitos patrimoniais, regalias e prerrogativas devidas aos deputados desta legislatura e aos ex-deputados.

Fonte: Novo Jornal

You may also like

Deixa um Comentário

O Apostolado Angola - Ontem, Hoje, amanhã e Sempre - Informação Com Credibilidade

O Apostolado – Jornal da Actualidade da CEAST – Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe, é um site de notícias e representa o ponto de vista a CEAST com relação aos notícias local e internacional.

2023 –  Direitos Reservados. Jornal o Apostolado.  Developed by TIIBS, Lda – TIIBS, Lda – Technology Consultants

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Política de Privacidade & Cookies