Sexta-feira, Junho 14, 2024

MPLA CONSIDERA MULHERES DA OMA AGENTES DAS MAIORES CONQUISTAS DA NAÇÃO

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, preside hoje, em Luanda, ao acto central de celebração dos 62 anos da Organização da Mulher Angolana (OMA).

Por: apostolado
0 comentário

O Bureau Político do MPLA reconheceu, terça-feira, a necessidade de continuar a disponibilizar todo o apoio às mulheres angolanas, enquanto agentes activas das maiores conquistas da Nação, cuja história vêm ajudando a construir com patriótica determinação.

 

Numa mensagem a que o o Jornal Apostolado, teve acesso, por ocasião da celebração dos 62 anos da fundação da OMA, organização feminina do partido, que hoje  se  assinala, o MPLA saúda de forma efusiva e patriótica todas as mulheres angolanas e, em particular, todas as militantes do braço feminino da formação política.

 

“Pelo abnegado e patriótico empenho no processo histórico da emanação e afirmação do Estado Angolano, o Bureau Político reconhece a necessidade de continuar a ser disponibilizado todo o apoio às mulheres angolanas, enquanto agentes activas das maiores conquistas da Nação angolana, cuja história vêm ajudando a construir com patriótica determinação”, lê-se na mensagem.

 

O Bureau Político, na mesma nota, sauda todas as mulheres angolanas, rendendo profunda e eterna homenagem às heroínas e demais mulheres anónimas envolvidas directamente no processo de luta pela libertação nacional, que culminou com a Independência Nacional, para além de outras que participaram nas conquistas que fundaram a soberania da República de Angola, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade do seu povo.

 

O Bureau Político do MPLA defende, igualmente, o aumento quantitativo e qualitativo de mulheres nos mais diversos cargos de decisão, que “concorram para a consolidação da querida pátria angolana, bem como das instituições regionais e de outro nível, de que Angola é membro de pleno direito”.

 

O máximo orgão de direcção do MPLA reafirma, ainda, na mesma mensagem, o seu intransigente compromisso de advogar juntos dos órgãos afins no sentido de serem reforçadas as acções de combate a todas as manifestações humanas entendidas como violência contra a mulher.

 

A finalizar, o órgão do Comité Central do MPLA, em nome de todos os militantes, amigos e simpatizantes do Partido, congratula-se, de forma especial, com a efeméride que marca os 62 anos de existência da Organização da Mulher Angolana (OMA).

 

 

Luísa Damião preside ao acto central das celebrações

 

A vice-presidente do MPLA, Luísa Damião, preside hoje, em Luanda, ao acto central de celebração dos 62 anos da Organização da Mulher Angolana (OMA).

 

Segundo o programa de actividades, a que Jornal de Angola teve acesso, participarão no evento o 1º secretário do MPLA em Luanda, Manuel Homem, e a secretária-geral da OMA, Joana Tomás.

 

A OMA foi criada em 1962, originalmente para angariar apoio ao movimento de libertação nacional, o MPLA.

 

Sendo a organização feminina do movimento de libertação nacional, o objectivo foi o de mobilizar, organizar e educar as mulheres para a realização dos ideais da formação política.

 

A organização goza de autonomia organizativa, administrativa e financeira e rege-se por estatutos próprios e, desde sempre, ofereceu as melhores oportunidades para o activismo feminino.

 

De acordo com o seu histórico, Ruth Neto, a irmã do primeiro Presidente de Angola, foi eleita secretária-geral da OMA num processo que envolveu os 53 membros do Comité Central da organização, em 1983, e reeleita a 2 de Março de 1988.

 

Ainda segundo o históricio do braço feminino do MPLA, a OMA expandiu, na década 1980, a educação para as mulheres e criou programas para aumentar a alfabetização entre as mulheres. Em 1999, Luzia Inglês Van-Dúnem foi eleita secretária-geral e reconduzida em 2005.

 

Actualmente, Joana Tomás é a secretária-geral da OMA, eleita em Março de 2021, com 94,5 por cento dos votos.

You may also like

O Apostolado Angola - Ontem, Hoje, amanhã e Sempre - Informação Com Credibilidade

O Apostolado – Jornal da Actualidade da CEAST – Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe, é um site de notícias e representa o ponto de vista a CEAST com relação aos notícias local e internacional.

2023 –  Direitos Reservados. Jornal o Apostolado.  Developed by TIIBS, Lda – TIIBS, Lda – Technology Consultants

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Política de Privacidade & Cookies