Sexta-feira, Julho 5, 2024

PROMOTORES DE EVENTOS IMPEDIDOS DE TOCAREM MÚSICAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS ILEGALMENTE.

A Associação Única de Direitos de Autor e Conexos (AUDAC) intentou uma providência cautelar a alguns promotores de eventos de Luanda, por usarem músicas nacionais e internacionais, ilegalmente, sem pagarem os direitos de Autor e Conexos.

Por: apostolado
0 comentário

Entre os promotores que estão em situação de regularização de pagamento de direitos de Autor e Conexos para a utilização de músicas nacionais e internacionais, no exercício das suas actividades, constam nomes como: “a Puzzle Entretenimentos, os Dj’s Mendes, Belmiro, Habias e Rick Star”, pode ler-se no comunicado enviado ao JA Online. 

Comunicado na íntegra: 

A AUDAC – Associação Única de Direitos de Autor e Conexos intentou  uma providência Cautelar contra a Puzzle Entretenimentos pela utilização de obras Artísticas Nacionais e Internacionais, por não cumprir com os pressupostos legais da Lei 15/14, de 31 de Julho de direitos de Autor e Conexos, as antecessoras da Audac , Unac-Sa e Sadia, várias vezes interpelaram a organização Puzzle Entretenimentos para cumprir com a Lei 15/14 de 31 de Maio e os seus diplomas, infelizmente, sem sucesso, a AUDAC interpelou a Organização antes do último evento, também, sem sucesso, fomos obrigados a accionar os mecanismos judiciais para salvaguardar os direitos dos titulares de direitos de autor e conexos nacionais e internacionais de artistas compositores, autores e publishers que representamos no território Angolano”. 

Além da Puzzle Entretenimentos e os Dj’s Mendes, Belmiro, Habias e Rick Star temos outros pedidos de providências cautelares para os grandes organizadores de eventos que não respondem às nossas interpelações e não cumprem com a lei dos Direitos de Autor e Conexos. Precisamos ganhar consciência que toda a criação de uma obra artística tem um criador, o mesmo tem o direito exclusivo de autorizar e ser remunerado sempre que a sua obra é utilizada por terceiros. Apelamos aos organizadores de eventos em geral e aos Dj’s a pedir autorização antes de utilizar uma obra nos exercícios das suas actividades. O Dj ganha dinheiro a utilizar músicas e obras musicais, é justo pagar ao autor das músicas, o mesmo acontece com os organizadores de eventos, ninguém organiza eventos com silêncio”.

Fonte: Jornal de Angola

You may also like

O Apostolado Angola - Ontem, Hoje, amanhã e Sempre - Informação Com Credibilidade

O Apostolado – Jornal da Actualidade da CEAST – Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe, é um site de notícias e representa o ponto de vista a CEAST com relação aos notícias local e internacional.

2023 –  Direitos Reservados. Jornal o Apostolado.  Developed by TIIBS, Lda – TIIBS, Lda – Technology Consultants

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Política de Privacidade & Cookies