Quarta-feira, Junho 12, 2024

BUSF ANGOLA CLAMA POR APOIOS PARA CONTINUAR A DESENVOLVER TRABALHOS DE INTERVENÇÃO DE EMERGÊNCIA NAS COMUNIDADES RECÔNDITAS DO PAÍS.

Com cobertura em mais de 15 províncias, a desenvolver trabalhos de protecção civil e de intervenção de emergência sobretudo nas comunidades de difícil acesso, o presidente da Organização Bombeiros Unidos Sem Fronteiras (BUSF ANGOLA) Flávio Domingos Canhongo em declarações a este Jornal, lança o grito de socorro ao executivo angolano e à comunidade empresarial.

Por: apostolado
0 comentário

” Os meios que nós temos são poucos, e precisamos de vários apoios para continuarmos a fazer o nosso trabalho junto das comunidades; precisamos de transportes, de equipamentos de sucção de água, de uma ambulância comunitária só para citar, porque temos técnicos de enfermagem mas faltá-nos estes equipamentos para podermos evacuar os doentes caso seja necessário ” desabafou o seu presidente.

Flávio Domingos Canhongo revela ainda que apesar do seu pendor social, a organização que dirige não recebe nenhuma verba do Orçamento Geral do Estado, pelo que todo e qualquer apoio que já beneficiaram tem vindo sobretudo das próprias comunidades ” temos vários planos em carteira e queremos promover, como por exemplo a de encontrar um espaço onde possamos receber e cuidar de pessoas vulneráveis, doentes mentais ou até mesmo mendigo, mas falta apoio, este projecto é uma das minhas metas para este ano “.

O associativismo de bombeiros vem na visão do nosso entrevistado contornar aquilo a que chamou de ” fraca cobertura dos efectivos do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros”, a BUSF prima mais na questão preventiva, com realce para as campanhas de consulta de saúde, combate a malária e outras doenças sazonais, e a distribuição de fármacos ou ainda treinamento sobre técnicas de primeiros socorros nas comunidades.

 

A BUSF Angola tem delegação ou órgão operativo nas províncias do Bengo, Huambo, Uíge, Kwanza Norte, Bié, Benguela, Cabinda, Huíla, Cuando Cubango, Malanje, Kwanza Sul e principalmente Luanda, nos municípios de Cazenga, Talatona, Luanda, Cacuaco e distrito do Sambizanga.

Conta com mais de 25 mil bombeiros voluntários que encontraram naquela organização, a forma de participar no desenvolvimento do país, sendo aquela ocupação para muitos, o primeiro emprego.

Importa referir que em outras latitudes da CPLP como em Portugal e no Brasil, este tipo de organização tem recebido apoio financeiro e reconhecimento, por parte de seus governos. Repórter Delgado Teixeira

You may also like

O Apostolado Angola - Ontem, Hoje, amanhã e Sempre - Informação Com Credibilidade

O Apostolado – Jornal da Actualidade da CEAST – Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe, é um site de notícias e representa o ponto de vista a CEAST com relação aos notícias local e internacional.

2023 –  Direitos Reservados. Jornal o Apostolado.  Developed by TIIBS, Lda – TIIBS, Lda – Technology Consultants

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Política de Privacidade & Cookies